Azul.png
 
 

A mesa

 

O jornal dobrado
sobre a mesa simples;
a toalha limpa,
a louça branca


e fresca como o pão.


A laranja verde:
tua paisagem sempre,
teu ar livre, sol
de tuas praias; clara


e fresca como o pão.


A faca que aparou
teu lápis gasto;
teu primeiro livro
cuja capa é branca


e fresca como o pão.


E o verso nascido
de tua manhã viva,
de teu sonho extinto,
ainda leve, quente


e fresco como o pão.

Poetas » João Cabral de Melo Neto

mudar idioma

» Poema

» Vídeo

Mauro Mota

Jogo noturno

Joaquim Cardoso

Cantadeiras

Deolindo Tavares

O palhaço

Gilberto Freyre

O Amarelinho

Ascenso Ferreira

O gênio da raça

João Cabral de Melo Neto

A mesa

Carlos Pena Filho

Soneto do desmantelo azul

Manuel Bandeira

Trem de ferro